Jornalismo Cultural e Participativo

 

O trabalho de um jornalista, publicitário ou profissional de rádio e TV, requer métodos específicos de apuração e produção editorial e deve ser pautado pela ética e compromisso incorruptível com a sociedade. Por essa razão, existem alguns pilares e preceitos básicos que diferenciam uma ditadura de uma democracia, entre eles, o direito à manifestação e à liberdade de imprensa.

Diante da explosão das redes sociais, integradas com uma avalanche de ferramentas e aplicativos de publicação digital, o caráter noticioso de uma informação sofreu transformações que refletem diretamente no declínio do jornalismo como instituição mediadora. No entanto, um novo modelo pode ser o caminho mais curto para a integração social com o jornalista.

Mesmo antes de se formar jornalista, você pode iniciar sua carreira contribuindo com conteúdo cultural, pesquisas científicas, produção e desenvolvimento de pautas e reportagens investigativas em projetos de jornalismo colaborativo.

Oportunidades de Jornalismo Cultural

Para quem está começando agora o curso de jornalismo, um bom lugar para treinar é o site JornalismoColaborativo.com, onde o estudante poderá dividir espaço também com profissionais formados em comunicação social e especialistas de outras áreas e diferentes campos de estudos.

A rede de Jornalismo Colaborativo foi destaque no Intercom, sendo indicada pela Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XXIII / Prêmio Expocom 2016 e referência em startups de jornalismo na edição especial de número 300 da Revista Imprensa em 2014.

« »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *